quarta-feira, 21 de outubro de 2009

Listas De Girias mais Conhecidas...

Brasil e Portugal

Gírias, provérbios e expressões verbais gerais usadas de forma comum no Brasil e em Portugal.

EXPRESSÃO SIGNIFICADO
À sombra da bananeira Despreocupado.
A corda sempre arrebenta do lado mais fraco Significa que a pessoa menos influente ou menos favorecida será sempre a mais prejudicada numa situação.
Abrir o jogo Contar a verdade, denunciar, revelar detalhes.
Abrir os olhos de alguém Convencer, alertar, mostrar a (suposta) verdade.
Agarrar com unhas e dentes Não desistir de algo ou alguém facilmente.
Aperto no coração Estar angustiado.
Armado até aos dentes Estar excessivamente preparado para uma situação.
Arrancar os cabelos (ou Trepar paredes) Estar em desespero.
Arrastar a asa Insinuar-se (sexualmente) para alguém.
Arrastar um trem/bonde Fazer de tudo por algo ou alguém que se deseja.
Arregaçar as mangas Iniciar algo.
Bacana (também Filhinho-de-papai, Mauricinho (raramente usado hoje), Playboy, Queque, Patricinha ou Paty) Rico, cheio de dinheiro (geralmente adolescente), alguém de ascendência nobre ou abastada; pessoa, normalmente adolescente de alta renda, que tem uma preocupação excessiva em se vestir de acordo com a moda e que anda em grupos com outras pessoas que compartilhem dos mesmos "valores".
Baixar a bola Acalmar-se, ser mais comedido.
Balde de água fria Desapontamento ou desilusão.
Baranga (também Canhão, MocréiaTribufu) ou Mulher feia.
Barata tonta Incompetente, energúmeno, perdido, sem saber o que fazer.
Bater as botas (também Abotoar o paletó, Amanhecer com a boca cheia de formigas, Comer capim pela raiz, Dormir em pijama de madeira, Comer capim pela raíz, Dormir sete palmos debaixo da terra, Empacotar, Ir para a vala, Dormir com os peixesIr desta para melhor) ou Morrer, falecer, ter uma morte (geralmente) violenta - algumas destas gírias, particularmente as mais ofensivas, são mais comuns entre criminosos.
Bater na mesma tecla Insistir.
Bicha (também Bixa, Viado, Boiola, Sapatão, Gay, Bambi ou Dragão-da-cauda-cortada) Homossexual (no caso de homens); sapatão é no caso de mulheres (lésbicas).
Bidala Adjetivar uma afirmação como falsa ou caluniosa (gíria normalmente precedida de exclamação onomatopéica e prolongada. Exemplo: "Uuuuh").
Botar o carro na frente dos bois Fazer as coisas de forma desordenada, fazer antes o que deve ser feito depois.
Cabeça-dura Alguém teimoso, insistente, turrão, fechado.
Cabeça nas nuvens (também Pensar na morte da bezerra ou Viajar na maionese) Estar distraído, sem atenção.
Cão chupando manga Coisa ou pessoa bizarra, muito feia ou que atormenta demais a vida.
Carta fora do baralho Pessoa ou objeto descartável, inútil ou sem importância.
Cartas na mesa (ou Dados lançados) Fatos expostos, sorte lançada.
Catinga (também Futum ou Inhaca) Mau cheiro, fedor.
Cecê Mau cheiro das axilas.
Chorar sobre o leite derramado Lamentar-se por algo que não tem solução/volta ou fato passado.
Chutar o pau da barraca (ou Chutar o balde) Resolver problemas ou situações brigando (Ex: "Se ele falar mal de mim de novo, vou chutar o pau da barraca!").
Colocar a mão no fogo por algo/alguém Dar pleno voto de confiança a alguma coisa ou pessoa.
Colocar mais lenha na fogueira Aumentar a atmosfera da situação, agravar uma briga.
Colocar panos quentes Favorecer ou acobertar coisa errada feita por outrem.
Colocar tudo em pratos limpos (Pôr os pingos nos is ou Dar nome aos bois) Esclarecer a situação detalhadamente.
Com a boca na botija (também Com a mão na massa ou Com as calças na mão) No flagrante do ato.
Com a corda no pescoço (ou Com água pela barba) Ameaçado, sob pressão ou com problemas financeiros.
Com a faca e o queijo na mão Com poder ou condições para resolver algo.
Com a faca nos dentes Com grande coragem para determinada tarefa.
Com o pé atrás da porta (Portugal) / Com um pé atrás (ou Com a pulga atrás da orelha no Brasil) Desconfiado, suspeitoso, cabreiro.
Com o pé na cova/sepultura Estar para morrer.
Com os dias contados Prestes a terminar.
Com uma mão na frente e outra atrás Sem nada, desprovido de qualquer recurso.
Com uma perna às costas (Portugal) / Com o pé nas costas (Brasil) Fazer sem dificuldade mesmo que pressionado.
Comprar gato por lebre Ser enganado, ser feito de bobo.
Corno(a) (ou Chifrado(a)) Traído(a).
Cortar um dobrado (também Pular fogueira ou Comer o pão que o Diabo amassou) Passar um grande aperto, viver um momento difícil na vida.
Cuspir no prato em que comeu Retribuir (geralmente bem tratado) com ingratidão ou desprezo.
Cutucar onça com vara curtaProcurar sarna para se coçar ou Brincar com fogo) (também Brincar com situação perigosa; mexer ou cismar com algo que não pode.
Dançar no miudinho Comportar-se direito.
Dar carta branca Autorizar que uma pessoa faça algo que normalmente não caberia a ela fazer.
Dar com o nariz na porta (ou Dar com a cara na porta) Decepcionar-se, procurar e não encontrar.
Dar o braço a torcer Admitir que errou em alguma coisa.
Dar com a língua nos dentes Contar um segredo.
Dar com os burros na água Fracassar.
Dar murro em ponta de faca Fazer pela teimosia algo que não resolve nada.
Dar uma mãozinha Ajudar.
Dar a volta ao bilhar grandeIr pentear macaco, Cagar no mato, Tomar banho, Catar coquinho, Empilhar coquinho na ladeira, Dar rasteira em sapo, Lamber sabão com açúcar ou Plantar batata no asfalto para ver se cresceou Cachimbar formiga ) (também Ir chatear outra pessoa.
Dar o troco Dar conversa ou vingança.
De caso pensado De forma calculada/premeditada.
De mão beijada (ou De lambuja) Prontamente, sem nenhum trabalho.
Descalçar a bota (Portugal) / Dar um jeito (Brasil) Tratar de algo, resolver um problema.
Descobrir a América Encontrar algo, descobrir informação, ambos de pouca importância.
Dor-de-cotovelo Inveja (geralmente de cunho amoroso).
Dor de corno Despeito amoroso.
Empurrar com a barriga Adiar continuamente uma coisa que não pode (ou não quer) fazer.
Encher a cara (também Beber feito Antônio Neto, Entortar o caneco, Entornar o barril, Lamber o garrafão, Sorver como um gambá ou Derrubar a adega) Ficar bêbado.
Encostar a roupa ao pêlo (Portugal) Agredir alguém.
Engolir sapos Fazer algo contrariado; ser alvo de insultos/injustiças/contrariedades sem reagir/revidar, acumulando ressentimento.
Enxugar gelo Fazer algo que depois não terá nenhuma utilidade e/ou será anulado.
Estar como Dantes no quartel de Abrantes Estar tudo igual sem que nada tenha mudado.
E.T. Extra-terrestre ou alienígena; pessoa estranha ou que não se encaixa em nenhum círculo social normal.
Fazer das tripas coração Fazer o impossível por alguma coisa.
Fazer de gato e sapato Explorar ou manipular uma pessoa ou situação, geralmente fazendo dela tudo o que bem quiser em proveito próprio.
Fazer de olhos fechados Fazer sem dificuldade alguma.
Fazer tempestade em copo d'águaFazer de armeiro um cavaleiro (Portugal) (Brasil) / Transformar banalidade em tragédia.
Fazer vista grossa Fingir que não viu, relevar, negligenciar.
Feito com farinha e cuspe Diz-se de baixa qualidade ou mal-feito.
Filho feio não tem pai (Brasil) / Criança largada ninguém cria (Portugal) Diz-se que ninguém quer assumir a autoria de coisa errada, crime ou delito cometido.
Gritar a plenos pulmões Gritar com toda a força.
Ir às forras Vingar-se para compensar uma situação anterior.
Jogar no ventilador Revelar ou expor algo que irá atingir e/ou comprometer a todos ao mesmo tempo e/ou com a mesma intensidade.
Jogou pedra na cruz Diz-se de pessoa que está vivendo um martírio, uma vida insatisfatória ou sofrida.
Largar o barro (também Sentar no trono, Soltar o quibe, Passar um faxConversar com o bocão) ou Defecar.
Lavar roupa suja Discutir assunto pessoal indiscretamente.
"Mad Max" Assim como Mel Gibson (no filme) refere-se a alguém louco, que arrisca muito, que não tem medo da morte ou do perigo.
Mané (também Otário, Zé-Goiaba, Zé-Ruela, Tonto ou Bunda-mole) Pessoa que foi feita de boba, pessoa sem ação, incapaz de sair de qualquer situação que apresente alguma dificuldade.
Mãos a abanar (também Mãos abanando ou A ver navios) Não conseguir o que pretendia.
Mãos atadas Não poder fazer nada.
Matar a cobra e mostrar o pau Fazer algo e provar que fez.
Matar o cadáver (Portugal) / Matar defunto (Brasil) Contar uma coisa que todos já sabem.
Meter os pés pelas mãos Agir desajeitadamente ou com pressa; confundir-se no raciocínio.
Meter o rabo entre as pernas Submeter-se (normalmente por pressão ou medo).
Molhar a mão Pagar propina ou suborno.
Mudar da água para o vinho Mudar radicalmente.
Nada a ver com o peixe Diz-se que a pessoa não tem qualquer relação ou vínculo com a situação.
Negócio da China Negócio que dá muito dinheiro, negócio muito vantajoso, grande oportunidade.
Neguete Apelido carinhoso para qualquer pessoa, similar a "neguinho".
No dia de São Nunca Nunca.
Onde o Judas perdeu as botas Lugar remoto.
O gato comeu sua língua? Diz-se de pessoa calada ou que pouco fala.
O peixe morre pela boca Significa que quem fala demais normalmente se dá mal.
O primeiro milho é dos pardais Diz-se a pessoa impaciente.
O rabo abana o cachorro Diz-se que a coisa é o exato oposto de como deveria realmente ser.
Pagar mico Passar vergonha.
Pagar o pato (também Boi de piranha, Bucha, Bode expiatório, Entrar de gaiato ou Posar de holandês) Ser "escolhido" arbitrariamente para levar (sozinho) a culpa de algo errado ou crime (que tenha ou não feito).
Pão-duro (também Mão-fechada, Murrinha ou Mão-de-vaca) Egoísta, miserável, sovina.
Para descer todo santo ajuda Significa que tudo conspira a favor de a coisa dar errado.
Para baixo todo santo ajuda Significa pessoa oportunista que adere à causa que se mostra vencedora para poder comemorar depois junto aos vencedores.
Passar a perna (ou Passar para trás) Enganar, fazer de bobo.
Pé-frio Pessoa azarenta ou que atrai má-sorte.
Pegar ar Irritar-se, enfurecer-se.
Pegar o bonde andando Entrar numa conversa sem saber do que se trata.
Pendurar as botas/chuteiras Aposentar-se, desistir.
Perder as estribeiras Perder a urbanidade por razão de irritação e/ou mau humor.
Pedra no sapato Algo ou alguém terrivelmente incômodo.
Picar a mula (também Berar o beco, Abrir o gás, Pirulitar-se, Escafeder-se, Vazar, Cair fora, Mandar-se, Ralar peito, Fofar o pelo, Deitar o cabelo, Fazer sombra, Montar no porco ou Fazer rastro ) Ir embora (preferencialmente bem rápido).
Pior que uma lesma (ou Na rapidez de uma tartaruga) Muito devagar.
Pique andróide Da mesma forma que um andróide, isto é, sem se cansar, com desempenho máximo, com força máxima (geralmente utilizado no contexto esportivo).
Piriguete Mulher sexualmente vulgar e escandalosa, que normalmente adora perseguir homens de todos os tipos, principalmente os casados.
Popeiro(a) (também Que pega ar ou Do pavio curto) - gírias nordestinas Pessoa que se irrita com facilidade.
Pôr as barbas de molho Precaver-se.
Pôr mãos à obra Trabalhar com afinco, fazer algo na prática.
Porogão Voz efeminada de travesti, gay, de futuros gays.
Presente de grego Presente que é feito com intenção de tirar vantagens futuras do presenteado ou simplesmente irritá-lo.
Procurar chifre em cabeça de cavalo Procurar algo onde não existe.
Procurar uma agulha num palheiroCorrer atrás de foguete) (ou Tentar algo impossível.
Prometer mundos e fundos Fazer promessas infundadas ou exageradas.
Pular da panela para o fogo Ir de uma situação (ruim ou não) para outra pior.
Quando a esmola é demais, até o santo desconfia Diz-se que uma situação boa demais pode ser uma cilada.
Quebrar um galho Fazer um favor.
Queimar a rosca (também Dormir na caixa, Escorregar no quiabo, Dar a ré no quibe, Agasalhar o croquete, Cagar pra dentro, Camuflar a cenoura, Cavalgar na jibóia, Abusar da maçaneta, Esconder a cobra, Ver o sabugo com outro olho, Sentar na farinha ou Tirar leite do pau) Transar (sexo anal, muito comumente para homens homossexuais).
Quizumba (também Fudevu ou Furduço) Bagunça, balbúrdia, total desorganização.
Rasgar seda Fazer fofocas.Também se usa no sentido de "fazer elogios exagerados"( em geral mutuamente).
Riscar do mapa (ou Fazer sumir do mapa) Fazer morrer/desaparecer.
Sangue-azul Para designar pessoas ricas com ascendência nobre.
Sem pé nem cabeça Sem lógica ou sentido.
Segurar vela Estar sozinho/a com um casal.
Tapar o sol com a peneira (ou Varrer para debaixo do tapete) Tentar maquiar a realidade, fazer algo que não resolve, tentar mentir sobre o que é óbvio ou conhecido.
Ter macaquinhos no sótão Ter ilusões, achar que algo muito improvável de acontecer é bastante possível.
Tirar água do joelho Urinar.
Tirar o cavalinho da chuva Pôr-se a resguardo de algum mal, desistir com relutância por motivo de força maior ou impedimento hierárquico.
Tirar o seu da reta Esquivar-se de uma situação (geralmente esperando que outro leve a culpa).
Tomar chá de cadeira Esperar muito tempo para nada.
Traveco Travesti, transsexual.
Trocar alho por bugalho Confundir fatos e/ou histórias.
Trocar seis por meia-dúzia Avançar numa situação sem progredir, trocar itens de mesmo valor.
Troca-tintas (Portugal) / Vira-casacas (Brasil) Mudar de idéias facilmente, traidor.
Uma mão lava a outra (e as duas lavam o rosto) Entreajuda, trabalhar em equipe ou para o mesmo fim.
Vão-se os anéis mas ficam-se os dedos Diz-se que pode-se abrir mão de algo descartável desde que se mantenha algo mais importante.
Viver de esperteza Vadiar, viver na iniqüidade, viver sem fazer nada.
Viver na aba dos outros Viver às expensas de alguém, preferencialmente tirando sempre alguma vantagem da pessoa explorada.
Voltar à vaca fria Voltar ao assunto com que se iniciou uma conversa.
Xana Vagina.
Zé-Ninguém (também Zero à esquerda ou João-Ninguém) Pessoa irrelevante, sem importância, mérito, destaque, poder ou influência, desempregado, alguém sem qualquer importância ou incidência no resultado.
Zé-(outra palavra) Denominação coloquial da pessoa que tem as qualidades lembradas pela palavra que segue o termo "Zé". Também pode se referir ao emprego e condição econômica ou social. Ex.: Zé-Ruela (pessoa enrolada ou azarada), Zé-Mané (pessoa idiota), Zé-Cagão (pessoa sortuda), Zé-Bundão (pessoa frouxa, desleixada), Zé-da-Peixiera (peixeiro), Zé-da-Farinha (vendedor de farinha), Zé-Chifrudo (o mesmo que "corno"), etc..


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário